quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

UM DIA PRA ESQUECER

Hoje foi um daqueles dias em que a gente preferiria pular e riscar do calendário.
Como algumas pessoas sabem,minha audição é bastante prejudicada,escuto numa frequência diferente dos outros,difícil ajustar com aparelhos,mas é unilateral,ou seja,meu ouvido direito consegue dar conta do recado. Quando fui trabalhar na empresa onde estou agora, como corretora, nada falei a respeito,pois em nada prejudicaria meu trabalho. Tanto é que consigo estar bem no ranking de vendas e falo e ouço tranquilamente ao telefone. Acontece que,como a sala não é muito grande e dividimos entre quinze corretores,muitas vezes fica ruim de ouvir os que falam comigo mais afastados de minha mesa. Tem uma colega que logo que percebeu esta minha,digamos,deficiência, começou a fazer brincadeiras de toda sorte de mal gosto e que se tornaram logo o grande motivo de diversão de alguns outros. Não ligava,tentava levar numa boa,por vezes fazia "tiradas" inteligentes que nem ela entendia. Mas reclamava,pedia pra ela parar com isso,chamava-a de lado, só nós duas e tentava por fim nesta situação. Fui ficando irritada,pedí ajuda pra minha supervisora que nada fez além de falar com ela que parasse. Não parou. Hoje,chego na empresa por volta de meio dia,a tal colega estava na mesa da plantonista,um colega,um colega na outra mesa e uma terceira de frente pra ele e nossa supervisora na mesa dela,central. Sentei-me ao lado do primeiro e a plantonista começou a falar (não se dirigiu a ninguém em especial) que até aquele momento só atendera uma ligação e nem era pra ela pois tinha feito "triagem" e era pra outra colega. Virei-me pra ela e sem nenhuma alteração disse que estava surpresa pois era a primeira vez que ouvia a palavra "triagem"( alí não fazem isso,é cada um por si e sua sardinha); ela se exasperou e berrou num tom agressivo demais que eu não sabia disso porque era muito burra e surda,muito surda,sem competência e que ela jamais mentia. Na hora não entendí, a ficha demorou a cair,cheguei a comentar que a ferradura estava nova hoje,havia sido polida. Ela continuou a berrar,dizia que somente assim eu ouviria,que surdas são o que de pior há. Pedí que se calasse,q poderíamos conversar sozinhas do lado de fora,no corredor,mas ela continuou a me destratar como se eu fosse o cristo que ela estava esperando pra descarregar um dia infeliz. Aí não aguentei. Disse-lhe que não "bateria" boca e que sairia dali direto pra uma delegacia. Minha supervisora que havia saído momentos antes, entrou de volta; ela, a colega, continou a falar toda sorte de insulto a mim e o máximo q a nossa chefe fez foi pedir pra ela se calar e a respeitar. Descí aos prantos e fui pra nossa emergencia. O médico me atendeu,minha pressão subiu muito e fiquei alí, sem entender o que eu havia feito àquela criatura pra me tratar daquela forma. Os rapazes que ficam na admistração e cuja sala é separada por divisórias e vidraças,perceberam tudo,não sei se ouviram pois ela gritava demais. Morrí de vergonha, porque ela sempre espalhou pela empresa que eu não ouvia e ria fazendo piadas e alguns riam tbm. Enquanto pude,aguentei. Agora não mais. Já recebí encaminhamento da DEAM pro Ministério do Trabalho e outras providências a tomar,mas venho pensando nas muitas coisas por que passe desde que fui pra esta unidade da empresa.. Qdo entrei lá, minha supervisora praticamente me obrigou a fazer uma compra de um rádio caríssimo em meu nome,parcelei,ela pagava sempre com atraso e fiz isso porque me pareceu chantagem e não queria ser ignorada logo no início. Mais tarde,pediu que fizesse empréstimo no banco,o que recusei. Aí,parou de me ajudar,deixou-me à deriva.
Revolta, tristeza profunda e decepção. São estes os meus sentimentos agora. O que irei fazer a partir de amanhã só Deus sabe. Há a possibilidade de abrir o jogo com o dono da empresa(que é depoucos amigos e não fala com ninguém),mas minha demissão será cotada,mais cedo ou mais tarde. Não sei qual será reação dele,mas me demitir estará na pauta. De agora em diante,represento problema,pois não vou me calar sob nenhuma pressão.
Que Deus me ajude!!!
Chris.

14 comentários:

Andréa disse...

Chris,

Se vc realmente não tem receio de perder o emprego, vá em frente e fale com o chefe.
Ele pode ficar ao seu lado, ou pode te demitir...não sei o que ele fará.
Mas se vc optar em falar com ele, te garanto...em branco a situação não passará, e eu creio muito na lei do retorno...um dia a vida irá cobrar desta gente o que andam fazendo.

Sei que vc fez um desabafo, mas não acho prudente citar nomes...se vc puder reformular, ficará melhor.

Beijos e boa sorte.

GERMANO disse...

Mete a porra nessa vagaba...

olharesdispersos disse...

ao falar com seu chefe, tenha todos os fatos bem definidos, evite adjetivar, trabalhe com fatos, coisas que não possam ser refutadas nem colocadas como sensação

isso torna mais fácil vc conseguir provar o que quer e na boa, tira os nomes das pessoas de seu blog, pelo menos até tudo se definir. Você expôs a empresa onde trabalha, seus chefes podem nõ gostar ou encarar isso como pressão.

Túrin disse...

Muito triste isso. Como trabalho num escritório de contabilidade, tenho certeza, se você for mandada embora receberá uma bolada e seu chefe deve saber disso (patrões sempre perdem em questões da justiça do trabalho). Acredito que se você continuar com o processo, seu chefe, se for inteligente e bem assessorado, vai mandar embora a sua "amiga e a sua gerente.
Força, porque alguém muito inteligente e sábio uma vez disse: "Para o mal triunfar, basta que homens (no seu caso, mulheres, mas você entendeu. rsrsrs) de bem se omitam".
Não se omita, você está dentro da razão e do seu direito.

angela_psi2004 disse...

puxa vida, menina.

o cúmulo do preconceito.
ferra todo mundo mesmo, gente mais besta.

vc vai ganhar e assim ajuda muita gente que acha que precisa se calar, sempre.

beijos..
torcendo por vc.

Marcco disse...

acho que fica dificil achar que o emprego nao corre risco, assim como fica dificil nao fazer nada agora. Vc precisa se preparar para tudo. Mas voltar atras, agora, nao dá mais.
E nada disso de ter vergonha dos amigos, chega lá para trabalhar, e acabou. Nao bata boca, nem de motivos que eles possam usar pra justificar o acontecido. Porque vao tentar...
força aí, filhota... e nada de chorar amanhã, deixe que ela chore. E deixe a vaca falar sozinha.

Joyce disse...

CReio que será quase que impossível permanecer nesse trabalho após uma situação como essa. Você não merece isso.
Muita força Chris!
Beijos

Priscila disse...

Chegei aqui por acaso, direcionada pelo blog da Lak e vou palpitar: Depois de chorar, comer chocolate ou qualquer outra coisa para acalmar a ansiedade reflita o que você quer em relação ao emprego. Digo isto porque o que você fará amanhã deverá ser de acordo com esta sua decisão. Se você não quer mais trabalhar na corretora, siga em frente, peça sua demissão ou procure um advogado para caracterizar uma rescisão indireta (caso você seja empregada e não autônoma). Caso você reflita e decida que o problema é com apenas duas pessoas, a que falou e a que ouviu e não fez nada, não mude sua atitude no trabalho, pois elas não tem relacão direta com ele. Só adianto que, se você xingar só quando não tiverem testemunhas ninguém vai te mandar embora por isso. Quanto a pessoa que te ofendeu, cabe uma processo por danos morais contra ela, basta você demonstrar e provar o ocorrido, por isto, minha sugestão para amanhã - cautela.

JUCA JARDIM disse...

olá, Chris...

não sei o que acabou acontecendo hj mas de todo jeito, pensando nas situações que vc passou desde a sua admissão, talvez vc já tivesse um encontro marcado com esse dia, né...

claro que a gente tenta se convencer que é um clima passageiro e vai melhorar com o tempo... acontece que a gente não muda o caráter das pessoas... elas têm que fazer isso por si, Chris...

pensa então que vc superou muita coisa até esse dia!

seja o que acontecer, vc não procurou magoar ninguém e não tem do que se envergonhar... se vc acredita nisso, vai tirar daí força pra erguer a cabeça e tocar pra frente!!

coragem guria!!! :)

ana maria disse...

Cristiane, pessoas preconceituosas sempre existirão. Sempre farão piadas, sempre humilharão. É uma pena que essas mesmas pessoas não se lembrem que, um dia, podem estar exatamente na mesma situação do alvo de suas piadas. O sol nasceu para todos, mas a chuva, o vento e a tempestade, também. Me faz lembrar de uma história que lí outro dia. Existia em uma cidade um menino cujas orelhas eram grandes demais, e por isso era chamado de Dumbo. Conviveu com essas piadinhas a sua vida inteira. O que mais o magoou foi a humilhação de uma moça que ele muito amava e que ria muito dele. Os anos passaram, ele casou e era feliz. Um belo dia encontrou seu antigo amor de outrora com um bebê nos braços. A moça tudo fez para escapar, mas o rapaz que era muito educado, falou com ela e pediu para ver o rostinho do bebê. Qual não foi sua surpresa, ao constatar que a criança não tinha as orelhas... A cada qual, segundo suas obras. Colhemos o que plantamos. Deus não castiga, nós pedimos o castigo, para sermos melhores. Fique com Deus. Bjs

cassia disse...

Cris, posso imaginar o que vc está sentindo pq tb tenho deficiência auditiva, apesar do aparelho ajudar bastante tenho dificuldade em entender de longe como vc.
Já passei por situações parecidas mas nada tão chocante como isso....
Não ajuda muito mas pense que essa sua "colega" também é uma deficiente, não tem a capacidade de sentir compaixão, deve ter inveja de vc e usa a sua dificuldade para lhe ridicularizar.
O melhor seria vc buscar seus direitos e mudar de emprego pois precisamos buscar a nossa felicidade e esse ambiente está te fazendo mal.
Sei que é facil falar mas procure não sofrer com o que ela lhe fez, pois ela é digna de pena!

sidney disse...

como ficou?

ariadnems disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ariadne disse...

É a primeira vez que visito esse blog e fiquei impressionada com toda a tua força.
É até engraçado, porque semana passada conversei com uma amiga da minha mãe que trabalhou com deficientes auditivos e visuais.
E eu fiquei surpresa porque eu tinha várias ideias erradas a respeito de quem sofre alguma deficiência. Descobri que deixamos passar coisas , sem perceber a grandeza de pequenas ações, gestos e acontecimentos.
Siceramente percebi que todos nós temos alguma deficiência mesmo que ela não seja exposta. Para mim e para muitos (mas nem todos, infelizmente), todos nós somos iguais.
Bom, apenas posso desejar força e ânimo para você.
Existem, sim, pessoas sem compaixão mas não deseje mal a elas.Elas se arrependem um dia, talvez com um castigo ou com a dor. Mas melhor seria se ela aprendesse com as experiência boas, mas é difícil não é mesmo?
Ânimo menina! Essa batalha é sua e você com certeza vencerá!
Torço por você e visitarei aqui sempre!